9.6.09

Buzina

Reações: 
Antes de qualquer coisa, eu preciso confessar que eu já fui um buzinador. Sim, eu perdia a paciência por qualquer coisinha no trânsito e já enfiava a mão na buzina. Meus melhores momentos como motorista-buzinador foi quando eu tinha uma buzina náutica (!!!) num Kadett (!!!!!) -- mas deixa eu explicar: eu comprei o carro já usado e a buzina já estava lá; eu nunca colocaria uma buzina náutica de livre e espontânea vontade num carro meu!

Só que hoje em dia, feliz ou infelizmente, descobri que buzinar no trânsito é um hábito insuportável. Tipo, a impressão que se tem é de que a pessoa buzina achando que todos os carros à sua frente vão se desintegrar e ela vai ficar com o caminho livre. Ou então que a pessoa vai pedir desculpa por ter dado aquela fechada. Pior: parece que, por alguma associação bizarra de ideias que só eles vão entender, eles pensam que quanto mais tempo eles ficarem com a mão na buzina mais fortes serão os efeitos. Tipo, se o cara ficar cinco minutos acionando a buzina ele vai conseguir desintegrar todos os carros que estão na Marginal Tietê no horário de rush em dia de chuva. Seis minutos e ele consegue desintegrar até a água da enchente!

Agora... o que mais me irrita é quando as pessoas buzinam pra espantar pedestre. Pois é, por mais incrível que pareça tem gente que faz isso no Brasil, gente! Não dá pra acreditar, né?

A vontade que eu tenho quando presencio um abuso na utilização da buzina é de me jogar no parabrisa do carro do buzinador. Ou então de enfiar a corneta no rabo dessa pessoa e acionar a buzina até o som sair pela boca!

2 comentários:

Zuza disse...

Caras, eu me divirto com essas postagens porque me identifico com todas elas.

No RJ, se você usa a buzina, o cara do lado olha pra sua cara e pensa na hora: "Esse é paulista!"...rs

O gerenciado disse...

hahahhahah né? paulista tem uma fama péssima por causa desse hábito (igualmente péssimo) de usar a buzina!