1.7.09

Gente lerda em caixa eletrônico

Reações: 
Sério, um dia eu ainda expulso alguém do caixa eletrônico na bicuda! A coisa que eu mais odeio no universo é ficar esperando aquele povo lerdo descobrir o que foi fazer na porra do caixa eletrônico, depois descobrir como é que se digita a senha no visorzinho (isso quando não tem que descobrir a própria senha!), depois ficar passeando por todos os menus até lembrar o que é que ele foi fazer lá... como isso me irrita!

Pior que isso só quando além de ser lerda a pessoa aproveita pra levar as contas de TODOS os parentes pra pagar, junto com TODOS os cartões da família... e aí paga 5 contas, troca de cartão, paga mais 8 contas e por aí vai... e ainda ocupa tipo o único caixa que tem dinheiro -- justamente quando você só precisa sacar uma grana!

Custa ter um pouco de consciência? Se sabe que vai demorar porque é lerdo(a) ou porque tem um monte de coisas pra fazer no caixa eletrônico (ou as duas coisas), por que não deixar as outras pessoas da fila usar e aí sim fazer tudo o que precisa fazer? Mas nããããããooooo... é mais legal ficar ocupando a máquina como se fosse um caça-níqueis, né? Tipo, "deixa eu tentar mais uma vez que agora acho que eu ganho o prêmio". Ô, filhadaputa! Não tem prêmio nenhum nessa merda, então vamos ser práticos, pelamordedeus!

Depois é assaltado (porque demora sééééééééculos pra mexer numa máquina que pode fazer qualquer operação em menos de um minuto) e vai querer reclamar da vida!

13.6.09

Poupatempo? Onde?

Reações: 
Eu fiquei com um pouco de preguiça de escrever sobre minha experiência mais recente com o Poupatempo... mas aí fiquei pensando tanto nisso que achei válido compartilhar com o mundo.

Recentemente fui renovar minha carteira de motorista no Poupatempo. Saí de lá achando que o nome "Poupatempo" é de um sarcasmo sem tamanho. Tipo, levei três malditas horas pra poder mostrar meia dúzia de documentos num guichê, pagar uma taxa (que poderia muito bem ser cobrada no mesmo guichê) e, finalmente, deixar os documentos com um atendente que simplesmente carimbou minha carteira atual e me disse pra buscar em 5 dias corridos.

Vejam que emocionante: decidi ir ao Poupatempo um dia depois do feriado de Corpus Christi pensando (como 97% da população do mundo, pelo que eu percebi) que não teria ninguém na cidade e que eu seria atendido rapidamente. Acho que eu nunca vi tanta gente reunida num só lugar! E, tenho que mencionar, uma gente feia pra cacete! E lerda! Legal, comecei bem o dia!

Estava prestes a entrar numa fila quando uma daquelas moças com o coletinho de "posso ajudar?" (tá, ela não tinha um coletinho, mas vocês entenderam) me pergunta se eu estou com todos os documentos necessários pra fazer a renovação da carteira. Aí eu descobri que eu precisava levar as cópias dos documentos também (tá, culpa minha por não ter me informado antes). Lá vou eu correndo até um lugar lá fora do Poupatempo que faz xerox -- e aí cabe uma sugestão: já que a ideia do Poupatempo é centralizar os serviços num único lugar, que tal montar também um quiosque dentro do Poupatempo onde se possa tirar xerox, fazer fotos etc?

Tirei as cópias, mostrei todos os documentos no primeiro balcão e ganhei a senha B1160... e aí vou pra sala de espera e descubro que as senhas B ainda estão no número 1086 -- e que eles estão chamando tipo umas 6 senhas a cada 20 minutos! Enquanto isso tá lá meu carro na Zona Azul, com uma única folhinha -- lá vai o bobo de novo sair do Poupatempo pra poder comprar outra folhinha...

Passou uma hora... a segunda hora começou a passar também... e a senha ainda tava no B1115! É... ainda tinha um longo caminho pela frente... e mais uma folhinha da Zona Azul estava prestes a vencer. Mais uma vez vou correndo até o carro. Quando volto a senha "já" tinha pulado para B1127. Falta pouco! Será?

(Ah, e eu tenho que mencionar outra coisa: quanto mais gente junta num lugar, maiores as chances de você encontrar pelo menos um burro! Teve um cara que chegou ao cúmulo de estar na sala de espera e me perguntar se era lá que ele tinha que esperar a senha dele ser chamada. Aí quando eu olho o papelzinho que ele está segurando e confiro com o painel percebo que tinham chamado a senha dele -- e aí ele também olha pro papel, olha pro painel e olha pro papel de novo com uma cara de Homer Simpson... e nem se dá conta de que já era hora dele ser atendido! Juro que fiquei com vontade de gritar "vai ser burro assim na putaquipariu, hein, meu filho?" mas me segurei.)

É... não faltava tão pouco assim... ainda demorou uns 15, 20 minutos. Finalmente minha senha é chamada e lá vou eu pro guichê. Tipo, umas duas horas e meia pra uma tia pegar meus papéis, olhar, grampear, me devolver e me dizer que eu ainda tinha que ir ao banco do Poupatempo pra pagar uma taxa! "Tia, meu dinheiro tá trocado, é só a senhora pegar e me dar um recibo!", foi o que eu quase falei. Mas aí respirei fundo e fui lá pegar uma fila quilométrica no banco. A sorte é que tinha bastante gente atendendo nos caixas e não fiquei mais que 20 minutos por lá. Paguei a taxa, corri de volta pro Detran (a terceira folhinha da Zona Azul já estava pra vencer) e fui deixar a papelada num outro guichê. Mais uma fila...

Finalmente chega minha vez e o tiozinho do guichê pega meus papéis, confere, carimba umas coisas e devolve minha carteira com um número de protocolo. Ufa, consegui! Volto correndo pro carro e vou pro trabalho.

Aí eu fico pensando... se demorou tudo isso e eu poupei tempo, imagina se eu fosse resolver da forma mais lenta!

9.6.09

Buzina

Reações: 
Antes de qualquer coisa, eu preciso confessar que eu já fui um buzinador. Sim, eu perdia a paciência por qualquer coisinha no trânsito e já enfiava a mão na buzina. Meus melhores momentos como motorista-buzinador foi quando eu tinha uma buzina náutica (!!!) num Kadett (!!!!!) -- mas deixa eu explicar: eu comprei o carro já usado e a buzina já estava lá; eu nunca colocaria uma buzina náutica de livre e espontânea vontade num carro meu!

Só que hoje em dia, feliz ou infelizmente, descobri que buzinar no trânsito é um hábito insuportável. Tipo, a impressão que se tem é de que a pessoa buzina achando que todos os carros à sua frente vão se desintegrar e ela vai ficar com o caminho livre. Ou então que a pessoa vai pedir desculpa por ter dado aquela fechada. Pior: parece que, por alguma associação bizarra de ideias que só eles vão entender, eles pensam que quanto mais tempo eles ficarem com a mão na buzina mais fortes serão os efeitos. Tipo, se o cara ficar cinco minutos acionando a buzina ele vai conseguir desintegrar todos os carros que estão na Marginal Tietê no horário de rush em dia de chuva. Seis minutos e ele consegue desintegrar até a água da enchente!

Agora... o que mais me irrita é quando as pessoas buzinam pra espantar pedestre. Pois é, por mais incrível que pareça tem gente que faz isso no Brasil, gente! Não dá pra acreditar, né?

A vontade que eu tenho quando presencio um abuso na utilização da buzina é de me jogar no parabrisa do carro do buzinador. Ou então de enfiar a corneta no rabo dessa pessoa e acionar a buzina até o som sair pela boca!

18.5.09

Gente educada

Reações: 
ÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉ..... e eu que queria falar mal... bom, foda-se... hj eu vi uma prova de gente educada no mundo.

Fui almoçar no Far-West Plaza e qdo tive um enfarto pq o Jin-Jin está fechado para reformas para melhor servir-me (é o que tá escrito lá). Aí eu fui no vivenda mesmo pq ng é de ferro... fui para minha única mesa livre naquele buraco carregando minha lasanha qdo vi que a única mesa livre estava com 2 bandejas... foda-se de novo, sentei lá msm e pronto.

Daí do nada veio um cara, pediu licença e pegou as latinhas das bandejas... tipo, p/ vender, mandar reciclar, sei lá, esperei um minuto p/ ver se ele ia botar no chão e pisar, o que ia fazer eu soltar a lasanha pela orelha de rir né... como não deu em nada comecei a comer...

Aí como eu estava de bode msm, chateado com umas coisas aí... do nada o cara (que estava acompanhado e bem acompanhado BTW) pediu licença de novo e tirou as bandejas da minha mesa p/ eu ficar melhor pq, ele disse, que o casal que estava lá antes foi embora e deixou as bandejas lá... caraaaai...

Então tá... ok ok... tem gente educada no mundo ainda... são poucos, mas existem...

7.5.09

Cara de cu - parte 2

Reações: 
E quando seus vizinhos não conseguem fazer outra cara pra você a não ser a cara de cu? O que eu acho o fim da picada é que isso aconteça em prédio, que é um espaço que todos compartilham! Isso acontecia quando eu morava em casa (os vizinhos sabiam quem eu era e onde eu morava mas mesmo assim faziam de conta que eu nem existia quando passavam por mim) mas com o tempo me acostumei, afinal de contas na rua é mais complicado sair cumprimentando qualquer um. Mas em prédio...

Aqui onde eu (ainda) moro o povo tem o péssimo hábito de nem olhar pra cara dos outros quando entra no elevador ou cruza com outras pessoas no corredor. Geralmente o bobão aqui, que tem um pingo de educação, tenta cumprimentar as pessoas e o seguinte "diálogo" acontece:

Eu - Bom dia.
Vizinho(a) (com cara de cu) - ...
Ou ainda:
Eu - Bom dia.
Vizinho(a) (com cara de cu e grunhindo) - Mumph...


Tipo, não quero sua amizade, não estou te xavecando e não quero uma xícara de açúcar emprestada... só estou sendo educado! Custa responder? Juro que nem vai cair seu nariz se você fizer isso!

5.5.09

Cara de cu

Reações: 
Por que algumas pessoas não conseguem ser simpáticas nem com reza brava? E por que sempre tem algum imbecil que as coloca pra ATENDER PESSOAS??? Tipo, eu perco totalmente o tesão de comprar qualquer coisa quando sou atendido por alguém que tá com cara de cu.

Não espero que todas as pessoas do mundo estejam com um sorriso de instrutora de aeróbica o tempo todo, mas que pelo menos elas procurem ser um pouquinho simpáticas: falar "boa noite", "obrigado", olhar pra cara do cliente... isso é o mínimo!

A impressão que eu tenho quando vejo esse tipo de coisa é de que a pessoa não gosta do que faz. Se não gosta por que não vai procurar outro emprego? Livre arbítrio tá aí pra isso!

AIMEUDEUSIO!!!!!!

Reações: 
Agora sim! não faltava mais nada...

o BODE está no pF!

Vou falar primeiro sobre uma receita que eu não sei da onde raios veio mas é gostoso qdo vc junta com arroz, vc não pode jogar no ventilador, às vezes vc come e vai parar no caminho do ar e sair pelo nariz... e está nos ônibus da BREDAAAAA.

mas como assim BREDAAAAA???

Estava eu voltando de um maravilhoso fim-de-semana na praia, litoral suljo de SP, e peguei 2 passagens no fundo do ônibus. Um local mais apropriado p/ conversas ao pé do ouvido, sem riscos pq SEMPRE tem um guarda por lá etc etc etc.

Dessa vez o guarda não apareceu. mas apareceu uma CORRRRRJA de imbecis com celulares de ultima geração tocando PAGOOOOOODEEEEE dentro do onibus meudeusiooooo... e deitando o banco até espremer meu saco pq claro que eles acham que estão esbarrando numa mala de verdade, não no meu eu-mala.

Farofada do carai!!!!! a inclusão digital É uma merda, me recuso a ouvir o contrário.

Ainda levo uma vitrola no ônibus e boto p/ tocar bem alto meus boleros em vinil... vamos ver quem vai ser o farofista fiodeumapouta que vai reclamar.

Farofeiros... o bode diz: vão todos se f**********

16.4.09

Nomes

Reações: 
Os de nome exótico que me desculpem, mas um nome comum é muito mais fácil de ser lembrado.

Porra, hoje eu fui ao banco e perguntei pra moça que fica na porta perguntando "posso ajudar, senhor?" quem poderia me ajudar com um assunto lá. Daí ela me responde: "o senhor pode tá falano com o Qohawudh ou com a Yoauwhbdoa". Juro, não entendi porra nenhuma do nome dos dois! E até agora não consigo nem imaginar qual era a primeira letra de cada nome!

Nem vou entrar no mérito de quem batiza o filho de Khehlly, Mahyicom e afins, pois pelo menos a pronúncia desses nomes é relativamente fácil -- só quem se fode é quem precisa escrevê-los, por ter que esperar o infeliz do dono do nome soletrar. Mas pô, como é que querem que eu me lembre de ter sido atendido pelo Sindrovaldo ou pela Adjalene? Sorry, too much information!

Tanto nome bonito por aí, com significados bacanas... pra que inventar outros? Pra quê?

18.3.09

Sobre cliques e impostos

Reações: 
Os leitores desse blog que precisam declarar imposto de renda sabem que ir no site da Receita Federal e fazer o download da porra do programinha usado pra esse fim é um cu. Primeiro que o site é lotaaaaado de informação e você acaba se perdendo (porque não sabe se acessa a área de downloads via menu ou se caça o programa entre os 200 mil links da página). Depois, quando você finalmente encontra o link que vai te levar ao programinha, você precisa de CINCO (sim, eu disse CINCO) cliques pra chegar, finalmente, ao download do instalador!

Quando eu comecei a trabalhar com Web a primeira coisa que eu aprendi é que se um usuário entra num site e precisa dar mais que 3 cliques pra chegar à informação que procura ele já começa a perder o interesse. Mas a Receita Federal pode, né? Afinal de contas não é uma questão de querer ou não fazer a declaração do imposto. Acho até que eles fazem isso de propósito, só pra sacanear o trouxa do contribuinte. Tipo, "vamos fodê-lo duas vezes, primeiro com a burocracia desnecessária do nosso site e depois com a mordida do leão".

Eles conseguiram. Eu pelo menos fiquei puto com tanto clique!

(Isso porque eu nem mencionei que se você vai fazer a declaração do IR pela primeira vez tem que baixar um tal de Receitanet. E tome mais cliques!)

15.3.09

Esses caras ridículos...

Reações: 
... e suas máquinas perturbadoras da ordem pública!

Primeiro foi o meu post sobre som automotivo. Aí hoje eu tava voltando pra casa pela Washington Luís, que é uma avenida beeeem movimentada e tem faixas estreitas, quando me deparo com um idiota dirigindo um Golf a TRINTA POR HORA, sendo que a velocidade máxima nessa avenida é de 60km/h. Detalhe: ocupando duas, DUAS faixas da avenida! Daí quando eu consigo finalmente entrar na única faixa da avenida que não está sendo ocupada por ele (e o ultrapasso, finalmente) vejo que o assoalho do carro dele está a uns 5mm do chão. Será que é porque as 4 molas do carro estouraram de uma vez num quebra-mola? Não, é porque a besta rebaixou o carro daquele jeito! Legal! A gente tá na Europa mesmo, né? As ruas de São Paulo nem são cheias de buracos e desníveis...

Gente, carro foi feito pra levar as pessoas de um lugar pra outro, e não pra gente fazer de trio elétrico... ou brincar de carro de Fórmula 1 e fazer ele sair pulando por aí sem mola... é difícil de entender isso, porra?

Ou será que o problema sou eu, que não consigo ver graça nessas coisas?

11.3.09

Uôba!

Reações: 
Que a maioria dos homens mijam fora da bacia não é novidade, mas que meninas tb fazem isso, pra mim é!

Primeiro que meninas não têm que "mirar" em nada... é abaixar a calça e liberar o xixi. Segundo que é difícil pra eu imaginar como conseguiram fazer o serviço estando sentada.. mas o que aconteceu (e anda acontecendo frequentemente) é que tem alguma menina naqle andar que quer brincar de ser a versão 'Uôba' de saia. A garota tem a capacidade de mijar FORA do vaso, provavelmente ela não lava as mãos e sai andando como se nada tivesse acontecido!!!!

P*** Q** P****!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

-prontofalei!

um dia de Seu Lili

Reações: 
Pois é, também tenho uma reclamação a fazer sobre gente sem noção e seus sons...

Aconteceu hoje no ônibus a caminho do trampo.

Estava eu, quieta no meu banco, qdo um indivíduo se senta atrás de mim e liga o mp3 do celular no último.. e como já era de se esperar.. ele não usava os fones de ouvido.. e eu fico PUUUUTA qdo isso acontece.

Graças à MALDITA inclusão digital e às Casas Bahia, agora qqr ser humano pode ter um celular-câmera-mp3-mp4-mp5-mp6-mp9 e sair arrasando com o som alto.

Gente, eu prefiro ter um filho VIADO do que um filho vendedor das Casa Bahia! Ngm é obrigado a gostar da mesma porcaria que vc (!!!!!) e pra quem não sabe (ler) existe uma L-E-I que proíbe aparelhos sonoros em ônibus.. mas né, WHO CARES?!?!??!?!?!

Não querendo arrumar confusão, me retirei para o penúltimo banco do veículo e acabei pegando no sono. Pra minha alegria (NOT), fui acordada por duas loucas assistindo o que parecia ser um vídeo onde se podia ouvir uma criança BERRANDO. Por essas pessoas fazem isso?? Elas odeiam o mundo ao seu redor?!

E como o mundo não estava satisfeito em me deixar PUTA antes das 10 da manhã, a pessoa ao lado dessas duas idiotas começa a se comunicar com outrem usando um nextel!!! Com aqle barulhinho irritante!!!! Eu prefiro ter um filho VIADO do que um filho usuário de Nextel!

Agora, pra quem não entendeu o título do post, lá vai o vídeo do seu lili.

8.3.09

"Quem não valoriza..."

Reações: 
Daí que eu tava de bobeira olhando o Orkut e me deparei com uma comunidade que eu já tinha visto outras vezes, chamada "Quem não valoriza perde". Na verdade essa é uma frase feita que eu vejo com bastante frequência por aí. Eu nunca tinha parado pra pensar nisso, mas como hoje eu estava sem fazer nada (e mente vazia é oficina do capeta, minha avó já dizia) comecei a filosofar a respeito. E aí me veio à cabeça o seguinte: é muito cômodo esperar que as pessoas te valorizem e não dizer a elas o que você entende por "valorizar", né? E é mais cômodo ainda pular pra outro relacionamento em vez de pelo menos tentar resolver o relacionamento atual, não é verdade?

Em resposta a essas comunidades me deu vontade de criar uma chamada "Quem não tem caráter não respeita relacionamentos" ou algo assim. Pelo menos ia ser bem mais original do que essa frase feita ridícula!

7.3.09

Som de carro

Reações: 
Por que caralhos uma pessoa resolve gastar uma fortuna pra montar uma danceteria ambulante? Tá bom, vai... não tenho nada contra um bom sistema de som automotivo, até porque eu adoro ouvir música quando estou dirigindo. Mas tem gente que não tem noção nenhuma: equipa o carro de forma que ele se torne um verdadeiro trio elétrico -- e sai por aí ouvindo as músicas mais toscas possíveis. Graças a essa galera eu sei, por exemplo, que existe um funk com a risada do Pica-Pau... e existe outro funk com o "plim-plim" da Globo. Sinceramente? Eu não fazia questão nenhuma de saber isso!

Custa alguma coisa deixar a música rolar só pra você? Que saco!

26.2.09

telemarketing

Reações: 
Pessoas aqui presenciaram meu stress em relação a telemarketing. Ô praga, viu!

Me diz, prá que existe telemarketing, se eles não sabem nada do que vc pergunta? Tudo que vc pede eles fazem o contrário e daí, no fim do mês, vc recebe uma conta lôka e querem que vc pague por aquilo!

Daí vc quer provar que vc pediu o contrário do que eles fizeram, e no protocolo diz que vc pediu aquilo mesmo que foi feito! Ou seja, ainda te chamam de mentiroso(a) que quer se aproveitar da empresa.

Daí vc solicita a gravação das suas conversas, que demora 3 meses!!! E pior, vem impresso, e não gravado!!! Quem me garante que não transcreveram errado???

Vc tem que falar com 10 atendentes diferentes, ninguém entende o que vc tá falando, desligam na tua cara 10 vezes, vc fica 2h ouvindo aquela musiquinha infernal, vc se perde naquele menu de opções, vc perde horas de trabalho, tempo, dinheiro, paciência, cabelo...

Sei que quanto mais vc odeia telemarketing, mais pepino aparece prá vc ter que ligar prá eles, mais eles aparecem na sua vida indiscriminadamente, mais eles te infernizam a vida. Acho que eles procuram no orkut as pessoas cadastradas na comunidade "Eu odeio telemarketing". Quem tá lá eles boicotam... sem dó!

Eu juro que eu só queria a conta LAZER!!! AGORAAAAAAAAAA!

Celular na empresa

Reações: 
Custa alguma coisa deixar a porra do celular no vibracall quando estiver no escritório? Eu não quero ouvir a musiquinha do Scatman John ou a sirene do caminhão de bombeiros que você colocou de toque. Sem dizer que eu posso estar ao telefone bem na hora em que o seu celular decide berrar o último sucesso da Furacão 2000 que você colocou pra tocar quando o seu namorado, o Wandercleisson, te liga. Não quero ouvir nada disso, então me poupe!

Engraçado que eu me preocupo em colocar o meu celular no vibracall logo que entro no escritório. E não levo nem 5 segundos pra fazer isso!

23.2.09

[coloque aqui qualquer marchinha de carnaval]

Reações: 
Daí que ficar em casa durante esse feriado prolongado não é tão animador assim.
Pensando bem, se o tempo não estivesse bom, as coisas estariam bem ruins.. não há NADA pra se ver na TV durante esses 4 dias que não tenha a ver com essa tal festa.
Eu odeio ver aqle povo pulando, sambando, suando e desfilando semi-nús. Mas se vc não tem uma TV a cabo ou se vc, assim como eu, não passou na locadora de filmes mais próxima ou ainda não baixo da internet o filme que vc qria tanto ir ver no cinema.. MORRA! Não há nada pra se ver. (saco)

11.1.09

Reações: 
Acho engraçado a mulherada dizer que tá difícil de encontrar homem decente por aí. Eu sempre fui decente, trabalhador, carinhoso, romântico (na medida do possível) e tudo o que uma mulher espera de um homem (e muito mais!)... daí minha ex-esposa resolve largar tudo o que tem pra investir num namorinho de faculdade com um cara que, segundo ela mesma, às vezes a trata mal. Então tá, né?

Nem vou mencionar o fato de o cara ainda morar com os pais e trabalhar como estagiário -- nada contra os estagiários, mas o fato é que eu já estou bem estabelecido profissionalmente, já passei faz tempo da fase de brincar de trabalhar! Também não vou mencionar que o cara largou a ex-namorada pra ficar com a minha ex-esposa. Eu sempre achei que quem faz isso tem uma grande chance de repetir a dose no futuro, mas enfim... eu não embarcaria nessa!

Isso já poderia ser motivo suficiente pra eu achar que tem alguma coisa errada comigo. Aí eu decido me cadastrar num desses sites de encontros.

(Podem me chamar de nerd à vontade. Nem ligo! Eu só me cadastrei num desses sites pra usar a tecnologia ao meu favor: é muito mais fácil encontrar alguém que procure o mesmo que você do que ir pra balada. E agora não estou com a mínima paciência pra apostar meu tempo em relacionamentos que vão acabar de uma hora pra outra porque a outra parte envolvida não tem certeza do que quer, ou porque não aguenta o tranco da convivência diária, ou por qualquer outro motivo ridículo.)

Encontro uma moça bacana (fisicamente e, até então, na personalidade) e começamos a trocar email. A conversa vai pro MSN, cada um olha o perfil do Orkut do outro e aí eu menciono algo sobre a minha ex-sogra -- a moça em questão passou a infância na cidade da minha ex-sogra.

"Ex-sogra? Você já foi casado?", pergunta a moça.
"Sim, me separei há um pouco mais de um mês. Não porque eu quis, que fique bem claro!"
"Entendo... e já se cadastrou no site de encontros? Que rápido, não?"

Na sequência a moça fica offline, me exclui do orkut... simplesmente some! E nem se dá a chance de me conhecer melhor. Nem me dá a chance de explicar por que eu estou nesse site. Fazer o quê, né? Mais uma que está fadada a casar com um daqueles caras que usam a camisa aberta até o umbigo, têm corrente e pulseiras de ouro e andam sempre com um palito de dente no canto da boca -- e metem o chifre nas esposas sem dó!

Não tem jeito, mulher gosta mesmo é de homem cafajeste. E algumas delas realmente merecem!

Me provem o contrário!

(Ah, sim... e cada vez mais chego à conclusão de que o problema não é comigo, e sim com aquelas que não têm auto-estima suficiente pra estar comigo. Por essas mulheres só posso sentir pena!)

23.12.08

Natal: tempo de hipocrisia

Reações: 
(Nota: eu juro que pensei bem antes de escrever esse post por achar que isso pudesse ser uma blasfêmia, heresia ou algo que o valha. Mas aí eu pensei melhor e cheguei à conclusão de que se eu for para o inferno não vai ser só por causa desse post! :-D)

Ah, o Natal... é aquela época do ano em que os mais pobres se dão o luxo de comprar bacalhau pra fazer uma ceia bacana... é tempo de comer feito um porco na engorda... tempo de entupir os shoppings atrás dos presentes que as crianças ficaram enchendo o saco pra comprar -- isso quando elas não acreditam mais em Papai Noel... tempo de comprar panetone "de marca" pra dar pros parentes (e manter a aparência de que o dinheiro tá sobrando em casa, quando nem sempre é assim)...

Tempo de fazer de conta que há harmonia na família -- todo mundo fica alegrinho e se ama nos dias 24 e 25, mas aí vem o dia 26 e tudo volta como era antes... tempo de ir visitar aqueles parentes com quem você nem quer ter tanto contato assim e fazer de conta que vocês se dão super bem... tempo de mandar cartõezinhos virtuais praquele seu amigo com quem você não faz questão nenhuma de falar, só porque todo mundo está envolvido pelo "espírito natalino"... tempo de receber cartão daquele seu "amigo" que só fala com você pra te fazer acreditar no quanto ele é foda e você é um merda (e ainda ter que retribuir a porra do cartão sem um pingo de vontade)... tempo de receber aquelas mensagens dizendo pra gente lembrar do aniversariante no dia do Natal -- e ninguém, ou quase ninguém, lembra porque está ocupado demais comendo rabanada e bebendo sidra Cereser...

Tempo de paz? Tempo de festa? Tempo de alegria? Por que o Natal não pode ser cada dia do ano? Por que temos que ficar presos a essa conveniência ridícula de uma data simbólica, uma única data no ano na qual somos bonzinhos e fazemos de conta que amamos todo mundo? Por que temos que seguir o resto do ano com nossa mesquinhez e indiferença com o próximo?

O Natal simboliza, antes de qualquer coisa, a celebração da vida. Por que, pelo simples fato de acordarmos, não podemos celebrar a vida? Por que não podemos ser bons todos os dias do ano?

Desculpem meu mau humor. E um Feliz Natal, né? Fazer o quê?

18.12.08

Reações: 
Uma pessoa acabou de me trazer um problemão: ela precisa faltar o dia inteiro amanhã para poder ajudar um parente a resolver uns assuntos pessoais e me perguntou se eu poderia liberá-la para isso. Daí eu disse que avisar assim, em cima da hora, complica um pouco as coisas, e tentei negociar um período menor (sei lá, de repente meio período). A pessoa teve a capacidade de me responder perguntando se EU tenho alguma idéia! Ah, sim... tenho sim, até porque o problema é meu, não é verdade?

A minha idéia é a seguinte: por que você não se mata?

Odeio gente que empurra as próprias responsabilidades pros outros. Falei!

7.12.08

.há malas que vem de trem... [às vezes de metrô, à pé..]

Reações: 
eu sei. eu sei que sou a maior antisocial que já se teve notícia [pelo menos no nosso convívio]. não, ok, admito.. tenho pelo menos uns 2 amigos que são mais misantropos que eu. e eles são meus "ídolos" por isso hahahaha...

mas enfim.. durante todos esses anos exercitando a arte de evitar pessoas, eu tenho armazenado dicas e truques para evitar malas pelo caminho.

ae vai a lista:

1. SEMPRE, eu insisto, SEMPRE esteja de fones de ouvido. já evita [e muito] a aproximação de qualquer idiota puxando assunto desnecessário [o ônibus atrasado, "ah-mas-eu-sinto-vontade-de-processar-essa-empresa-viu", perguntar as horas, falar do tempo, da economia, da novela]....

2. no caso de falta de fones de ouvido, simule um coma. sério. quer saber mais sobre essa prática milenar? fixe um ponto no horizonte, e olhe com a expressão mais de NADA que conseguir fazer. imagine-se mesmo num coma, sabe? garanto: funciona.

[se não funcionar, pelo menos você consegue se distrair um pouco tentando fazer a cara de nada..]

3. seja MAIS CHATO[A] que o chato[a]. das duas, uma: ou a pessoa vai achar que encontrou a alma gêmea ou vai realmente ficar apavorada e sumir. normalmente é a segunda opção que rola!

4. boceje. sem mais explicações.

5. e por fim, finja que recebeu uma ligação importantíssima no celular e se afaste.


uma dessas opções vai te salvar do tédio!
Reações: 
E essa mania ridícula que tá tomando conta do Orkut? Não sei se só eu notei, mas tem uma galera que tá numas de inventar trocadilhos escrotos com os nomes dos países. Tipo, eles colocam uma frase no campo "Cidade" e aí essa frase forma a porra do trocadilho com o nome do país. Agora mesmo me deparei com um perfil cuja dona escreveu "só serei feliz quando você" no campo "Cidade", e colocou "Mianmar" no país. Daí o que aparece logo abaixo do nome dela no perfil é "só serei feliz quando você, Myanmar".

Esse não foi o único que eu vi. Tinha um outro perfil em que estava escrito "na minha casa tem piscina vem, Canadá".
("Vem cá nadar", sacaram? Que gente espirituosa!)

Quem falou que a criatividade do brasileiro não tem limites tinha total razão... mas acho que seria legal alguém começar a impor esses limites, viu? Isso já é deprimente!

prontoFALEI!!!

Odeio futebol

Reações: 
Provavelmente sou o único brasileiro que odeia futebol. Por mim todos os times poderiam morrer num incêndio no Maracanã. Todos, sem exceção.

Eu nunca gostei de futebol. Sempre joguei muito mal. Manja aquele cara que você sempre chama por último pro seu time? Pois é... esse era eu! Mas antes eu até tentava me enturmar, me dizia um torcedor do Corinthians... até o dia em que eu pensei de uma forma prática: o que muda na minha vida se o Corinthians ganhar ou perder? E aí deixei de torcer.

Eu sei que toda pessoa tem direito à religião e ao time preferido... mas eu não consigo entender por que existe tanta rivalidade entre torcedores, mesmo que seja só brincadeira! "Pô, seu time tá indo pra segunda divisão, hein?" "É, mas pelo menos nós somos heptacampeões do Mundial Interclubes!"

(E aí cabe o seguinte comentário: como assim, "nós"? Eu não tava lá jogando; como é que eu tomo como minha a vitória dos outros???)

Fora o dinheiro gasto com fogos de artifício, bandeiras, camisetas etc. Que graça tem sair com uma camiseta de time na rua? O tecido dela é desconfortável -- pelo menos para mim. Você corre um risco de encontrar alguém mais babaca que você (ou uma gangue de mais babacas que você) e ficar sem a camiseta -- talvez até sem alguns dentes. Qual a emoção de soltar fogos de artifício? Seu time ganhou uma partida em Quixeramobim e lá vai você, feliz morador de São Paulo, soltar fogos. Eles estão te ouvindo? Acho que não, hein? Então pra quê? Só pra estressar a cachorrada (e, muitas vezes, as crianças) da vizinhança?

Agora... só pra ninguém achar que eu sou o cara mais chato do mundo... quando tem Copa a coisa muda! Eu acho emocionante acompanhar os jogos, principalmente os do Brasil! Taí, por que não podemos fazer esse carnaval todo a cada dois anos, só quando tiver Copa do Mundo? Já não tá bom demais?

6.12.08

Mau atendimento

Reações: 
Dia desses eu estava conversando com a jolie. sobre mau atendimento e ela me disse que odeia ir a lugares em que as pessoas parecem estar fazendo um favor por te atender -- sendo que você está pagando pelo atendimento, então deveria acontecer justamente o contrário. E uma situação assim acaba de acontecer comigo.

Fui dar uma volta pra espairecer e na volta decidi comprar uma pizza. Paro em uma pizzaria na qual eu já havia ido outras vezes; vejo que outras pessoas estão sendo atendidas e fico apoiado no balcão esperando a minha vez. De repente todas as pessoas retiram suas pizzas e eu sou o único no balcão. Ou seja, eu deveria ser o próximo a ser atendido, certo?

Pois é... não para o dono da pizzaria. Ele atendeu o telefone, foi checar o andamento dos pedidos que já estavam com o pizzaiolo, atendeu o telefone de novo (sendo que o filho dele também estava lá e poderia ter feito isso), passou por mim umas quinze vezes e nem me disse um "boa noite". Aí chega um outro cliente (provavelmente mais íntimo do dono da pizzaria, já que o cumprimentou com um aperto de mão) e começa a fazer o pedido. Eu interrompo os dois:

- Peraí, acho que eu estava na frente, não?
- É mesmo? Então tudo bem, pode falar seu pedido.

Caralho, você não me viu aqui em pé feito um bobo, filho da puta? Claro que eu estava na frente!

Respiro fundo (tenho feito isso bastante ultimamente!), olho bem pra cara dele e digo:

- Não, pensando bem eu não quero mais. Muito obrigado.

Depois eu fiquei pensando que eu deveria ter falado algo como "deixa pra lá, eu volto um dia em que o atendimento de merda de vocês tiver melhorado", mas já saí feliz -- até porque depois eu fui a uma outra pizzaria e fui muito bem atendido!

Pra esse cara eu só desejo a falência agora.

Eu odeio as pessoas

Reações: 
Eu odeio as pessoas. Ninguém em especial, que fique bem claro! Eu estou aprendendo a odiar qualquer pessoa. É que o ser humano de uma forma geral é detestável. Todos nós agimos por interesses e sentimentos exclusivamente nossos. Não nos importamos com o que as outras pessoas vão pensar a respeito de nossas atitudes, não damos a mínima para o que as outras pessoas sentem por nós. A única coisa com a qual estamos preocupados é a nossa própria felicidade, nosso próprio prazer. Traímos pela busca de novas experiências, e desprezamos os sentimentos daqueles que fizeram tudo por nós. Passamos a perna nos colegas de trabalho em busca de satisfação pessoal, em busca de glória, e não nos preocupamos em valorizar as pessoas que realmente merecem. Deixamos de dar ouvidos a nossos parentes e amigos para defender as idéias que julgamos serem as mais corretas, mesmo que elas passem por cima das vontades de outras pessoas.

Nem mesmo os gestos de caridade são espontâneos. Raramente doamos algo de livre e espontânea vontade; sempre há algum interesse por trás, seja a doação de 5 quilos de alimento para poder conseguir um desconto no show da banda favorita, seja a doação de roupas que esconde um alívio por nos livrarmos daquelas velharias que estavam ocupando espaço no guarda-roupa ou até mesmo a realização de trabalhos voluntários – muitas vezes para preencher currículo ou para pagar promessas individuais. Não adianta, não existe uma boa ação feita de forma espontânea!

Fui educado de forma a sempre pensar nos outros acima de qualquer coisa. Durante toda a minha infância e adolescência eu me preocupava com o que os meus pais pensariam se eu fizesse certas coisas como tomar uma suspensão na escola ou usar drogas. Eu sempre vivi em função das outras pessoas sob uma determinada perspectiva. Sempre tive a preocupação de ter um bom emprego para poder casar, ter a minha casa própria e garantir conforto para mim e a família que eu construísse. Lutei bastante para isso. Dei meu sangue pela minha família e meu emprego. E vi meu casamento ir por água abaixo e minha vida profissional se abalar não por minha culpa (apesar de quererem me fazer acreditar nisso), mas por causa de interesses individuais – de um lado, alguém que tomou uma decisão baseada na busca por sua própria felicidade; de outro, alguém que não quer admitir seus próprios erros e insiste em encontrar um bode expiatório para se sentir melhor. E como sou uma pessoa que não consegue agir dessa forma, impulsionado apenas pelos próprios sentimentos sem se preocupar com as pessoas à sua volta, fico apenas absorvendo a pressão, agüentando tudo calado – e me conformando com o fato de que ninguém além de mim mesmo poderá me ajudar.

O que mais me incomoda é perceber o egoísmo alheio em gestos do cotidiano. É aquele cara que estaciona o carro na vaga para deficientes porque não quer atravessar o estacionamento inteiro do supermercado, é aquela senhora que aproveita o fato de aparentar uma idade avançada (mesmo tendo menos de 60 anos e gozando de boa saúde) para furar a fila do banco, é o idiota que dirige a 10 por hora na faixa da esquerda daquela avenida movimentada porque tem medo de dirigir mais rápido (e danem-se as leis e as outras pessoas que querem usar a faixa da esquerda para aquilo que ela serve, que é andar mais rápido). É a rede de TV que vai fazer a cobertura das tragédias para garantir uma audiência; é o povo que assiste às tragédias para poder ter alguma satisfação na vida (“que bom que eu não estou passando por isso!”). É o traficante que coloca veneno de rato na cocaína para fazer render mais, sem se preocupar com o duplo malefício que está fazendo a outras pessoas; é o viciado que rouba para sustentar seu vício, sua única fonte de prazer na vida ridícula e miserável que leva. É o cara que faz falsas promessas de amor eterno para a namorada só para não ficar sem o prazer do sexo; é a mulher que faz as mesmas promessas para não se sentir a encalhada da turma. É aquela moça que finge estar dormindo para não ter que ficar em pé no ônibus lotado, mesmo sabendo que está ocupando um assento preferencial – e danem-se os idosos que estiverem em pé. É a empregada que comete pequenos furtos para se sentir mais esperta que a patroa.

Eu odeio as pessoas. E gostaria muito, muito mesmo de não ter que depender delas.

prontoFALEI!

E-mail - de novo!

Reações: 
Talvez seja porque eu ando meio sem paciência com o mundo. Ou talvez seja simplesmente porque algumas pessoas são burras demais. Tá bom, talvez não seja burrice; talvez seja só preguiça de pensar. Mas o fato é que algumas ações conseguem me irritar tão profundamente que eu tenho vontade de sei lá o quê. Encher essas pessoas de porrada, talvez?

Como eu sou um cara contido e não gosto muito de violência (na verdade acho que eu tenho um instinto de auto-preservação muito forte e odeio apanhar, mesmo que eu bata também) acabo não demonstrando para as pessoas o quão perto de uma tragédia elas estiveram. Como um dia desses em que eu enviei um email para algumas pessoas do escritório preencherem um questionário. Eram perguntas simples, que deveriam ser respondidas até o meio-dia do dia seguinte, e era só respondê-las no próprio email. No dia seguinte ao meio-dia eu precisei falar com duas pessoas que ainda não tinham enviado o email de volta. Um deles me disse que já estava terminando, e que ia mandar o arquivo pelo MSN. Pensei que fosse um TXT ou um arquivo de Word, e já fiquei levemente de mau humor -- e pensando, com razão, que provavelmente ele não tinha respondido corretamente às perguntas.

Peço pra ele enviar de volta por email. Qual não foi minha surpresa ao ver um PDF anexado ao email? Respiro fundo, dou dois tapas na mesa (coitada da minha mesa, tem sofrido bastante ultimamente!) e penso: "dá um crédito pro rapaz, talvez ele tenha respondido a todas as perguntas". Abro o arquivo, começo a ler as respostas e vejo que ele não respondeu a todas as perguntas. Dou mais dois tapas na mesa e chamo o rapaz no MSN. Começo a conversa refazendo a pergunta que ele não respondeu direito, ele responde e aí eu começo a descarregar um pouco do meu ódio:

- Rapaz, vou te dar uma dica: da próxima vez se preocupe mais com a informação que você está passando do que com a forma como você a está passando. Se você tivesse lido melhor as perguntas e respondido diretamente no corpo do email você teria levado menos tempo e teria feito tudo certinho de primeira.
- Mas eu só copiei e colei a informação.

Mais tapas na mesa -- dessa vez foram três. Como assim, "copiei e colei a informação"??? Se ele copiou e colou a informação, por que não respondeu direto na porra do corpo do email, meu Deus???

- Mas você salvou um PDF! Não precisava de tanto!
- OK.

"OK", meu filho? Eu te dou um esporro (sutil, eu concordo, mas foi um esporro) e você responde simplesmente "OK"???

Ah, sei lá... não entendo por que eu ainda me preocupo com essas coisas...

28.11.08

Ao telefone...

Reações: 
Acabou de acontecer comigo: estou eu aqui, focado no meu trabalho, ouvindo a música mais foda da minha playlist de Korn, Soundgarden e Metallica, quando o celular vibra. Olho o número e não reconheço. Atendo:

- Alô... (pausa de 3 segundos pra dar a chance de a pessoa do outro lado responder) alôôôôô... (já com um pouco menos de paciência) alôôôôôôôôôrrrrrrrrrrr (vai que a pessoa do outro lado é de Diadema, né, Maísa?)

A pessoa do outro lado dá uma risadinha (daí percebo que era uma mulher) e desliga. Liga de novo, em menos de 30 segundos. Tudo de novo: o bobo aqui falando alôr feito um idiota e ninguém respondendo do outro lado. A mulher desliga de novo.

Volto a trabalhar, mas a minha perna começa a balançar descontroladamente. Isso só acontece em duas situações: ou quando alguém está me agraciando com um cafuné bem feito ou quando meu diabinho interior começa a me questionar se eu vou deixar barato algum desaforo sofrido. Decido ligar pro número que tinha aparecido no meu visor. A mulher atende:

- Alô.
- Alô, me ligaram desse número duas vezes e eu queria saber quem é.
- Ah... eu liguei errado, moço...
- Ah tá... é que como você ligou duas vezes pro mesmo número eu achei que você sabia o que estava fazendo e... filhadaputa, desligou na minha cara!

Respiro fundo, coloco novamente os fones de ouvido e foco no trabalho. Não passam dois minutos e a minha perna começa a balançar novamente, e eu ouço o diabinho falando "cara, ela desligou na sua cara!!! vai ficar por isso mesmo?"

Aperto o redial. Ela atende:

- Alô.
- Você é mal-educada pra caralho, hein? Desligou na minha cara!

Agora prove do próprio veneno, sua burra! Fale com o Tutu!

É pedir muito que a pessoa tenha um mínimo de educação pra dizer que ligou pro número errado, em vez de ficar muda e deixar a pessoa do outro lado falando alô feito idiota? Alias, é pedir muito que a pessoa, em primeiro lugar, disque a porra do número certo???

Jornalistas frustrados

Reações: 
Quem é que perde 4 anos da vida estudando jornalismo prá fazer uma matéria assim:
"Teste: você sabe escovar os dentes?"

Prá que que eu vou fazer um teste desse?!?!?!? Imagina o resultado:

de 1 a 5 pontos: Parabéns, seu sorriso é Colgate!
de 6 a 10 pontos: Não esqueça o fio dental!
de 11 a 15: já tou sentindo um bafinho...
16 a 20: carniça pura!

-- Fim de carreira prá vc, meu bem!

27.11.08

Tu é burro!?

Reações: 
Olha, como tem aparecido gente burra na minha frente ultimamente. Tá uma verdadeira EPIDEMIA DE BURRICE. Acho que quando teve campanha de vacinação contra burrice, ninguém quis aparecer (talvez porque não entenderam a importância de se vacinar contra burrice).

O meu dia começa com as pessoas burras no metrô que ficam parados do lado esquerdo na escada rolante, impedindo que o pessoal vá subindo. Na verdade isso é falta de bom-senso, mas já me cansou, pq tem milhões de plaquinhas dizendo: "Mantenha-se a direita". Vai ver a pessoa não sabe qual a diferença entre direita/esquerda. Um dia na escola disseram prá ele que direita é a que escreve, mas daí o cara é canhoto e fica achando então que a esquerda é a que escreve, portanto a direita... sei lá...

Daí vc liga no telemarketing prá resolver um probleminha com a sua conta de celular, com a internet que não funciona, com a fatura do cartão de crédito, com a assinatura da revista, e prá toda pergunta que vc faz vc recebe a seguinte resposta: "Ah, isso eu não vou estar sabendo te informas, senhor(a)"... cára, prá que telemarketing, me diz!?!?!?!?!?!?!??! A pessoa é tão burra assim que não sabe nada?

Outro dia eu fui no metrô Santana, e como não conheço muito a região, fui me informar com o funcionário que estava num balcão escrito "informações". Perguntei onde ficava o Shopping Santana, que fica a duas quadras do metrô. O cara me abre um caderninho, onde tem uma anotação dizendo queo Adalgiza passava naquela rua (???):
--"moço, me disseram que fica pertinho, não precisa de ônibus"
-- "ó, ma, ó, éhhhh, o Adalgiza passa nessa rua aí qui ce qué, pertinho assim"
-- "mas me disseram que dá prá ir a pé, não dá?"
-- "pergunta pro rapaiz de preto ali, que ele vai saber falar mió" (o cara de preto é o guarda do metrô)

Me diz: prá que um balcão de informações se a pessoa não vai saber te dar a maldita informação que vc precisa?!?!?!?!!?

Chegando no trabalho, vc se depara com pessoas que fazem as mesmas cagadas há pelo menos 1 mês... ou 1 ano... Vc manda email, fala nas reuniões, o chefe fala nas reuniões, o chefe do chefe tbm fala.... e que que acontece? A pessoa continua fazendo merda!

"Cara, eu fico puto da vida", "prefiro ter um filho viado do que um filho" BURRO!!!

Gente de deus, tou cansada.... será que custa pensar um pouquinhozinho assim, ó! Custa? Difícil, né? É eu sei... mas mais difícil é conviver com a burrice alheia e ter que se virar sozinho por causa disso! :-P

prontoFALEI!
Reações: 
Se tem uma coisa que eu odeio, O-DE-I-O (sim, soletrei errado de propósito!) é mandar um email com uma pergunta do tipo "é isso ou aquilo?" (por exemplo, "Nós vamos almoçar no West Plaza? Ou é melhor irmos ao SESC?") e receber uma resposta do tipo "Exato".

"EXATO" O QUÊ, PORRAAAAAAAA???

Tipo, pra que ler direito o email, né? Pra que notar que tem um "ou" separando as perguntas?

E aí eu tenho que ficar imaginando se a resposta foi dada pra primeira ou pra segunda pergunta... ou então perder meu tempo respondendo o email e perguntando pra qual pergunta essa resposta serve. Vai se foder, hein?

23.11.08

pseudo-ativismo = intelectualismo?

Reações: 
Sabe que já tem um tempo que discorro sobre esse tema, pois é algo que sempre me irrita -- ok, devo confessar que é algo que me irrita desde que caí na real de que a maioria das ações e palavras ativistas são, nada mais, que coisas vazias, contraditórias e sem sentido, que não atingem seu objetivo: revolucionar o mundo. Isso porque são mal utilizadas e mal direcionadas.

Até meus 14 anos eu era uma jovenzinha de classe média alta, que estudava num colégio de boy e ganhava tudo do papai. Maaaaas... enquanto os boyzinhos brigavam por causa do jogo de futebol, eu brigava com professores e coordenadores por melhorias no ensino e na escola. Era uma rebeldezinha (sem causa, talvez) que, segundo muitos colegas de classe, deveria me tornar política (argh!).

Aos 13 comecei a andar de ônibus sozinha pela cidade para praticar esportes, e isso me fez enxergar um mundo muito maior e muito mais problemático além daquele mundinho fechado em que eu vivia. Aos 15 minha vida virou totalmente: passei a estudar em uma escola pública e a conviver com várias realidades. Pegava ônibus e metrô todo dia, andava sozinha pelo centro, via muitas coisas. Comecei a ouvir outros estilos de música (sobretudo Punk -- pasmem! -- e rock nacional anos 80).

Toda essa transformação me fez virar uma revolucionariazinha. Participei de algumas passeatas com os professores durante a greve; tinha pensamentos anarquistas, socialistas e revolucionários -- eu realmente acreditava que poderia mudar o mundo; virei anti-capitalista, anti-eua, anti McDonalds, anti-tudo. Era uma jovem das Diretas já totalmente fora de contexto, mas com muita vontade.

Um dia, próximo às eleições de 2002 para presidência, entrei num chat na internet e comecei a discorrer sobre a responsabilidade e a consciência na hora do voto. E eis que vira um cara e diz: "Vc tem apenas 16 anos, essa é sua primeira eleição. Um dia vc vai cair na real e vai rir do que vc está falando agora. Eu tbm agia como vc na sua idade."

Fiquei bravíssima na hora, claro! Mas não é que aconteceu isso mesmo? Pior: além de rir de mim mesma nessa tentativa frustrada de uma rebelde sem causa, hoje eu me irrito com pessoas que fazem isso. hahahahahaha claro que não me irrito com os adolescentes de 15 ou 16 anos. Pelo menos eles buscam ter algum conteúdo, no meio desse mundo MTV, que também incentiva ativismos vazios para que os jovens que querem se tornar rebeldes sem causa (lembram-se do "Desligue a TV e vá ler um livro"??? Dispensa comentários...). Me irrito com aqueles que já passaram dos 20, dos 30, mas continuam com esses papinho.

Tive a idéia de escrever esse post após ver, não pela primeira vez, nem pela milésima, uma frase pixada em alguns pontos de São Paulo que me irrita demais: "Odeie seu ódio". Tudo bem que apesar de ser impactante a primeira vista e convidar o leitor a uma certa reflexão (talvez profunda, como foi a minha), é totalmente contraditória. Sendo assim, no meu ponto de vista, perde sua essência... E outra: apesar de simples, poucos são os que param para analisar semantica, morfologica, gramatical e epistemologicamente (ou qualquer outra coisa "mente"), seja por falta de tempo, por falta de interesse, por falta de educação de qualidade, portanto será incompreendida pela maioria. E apesar de, de repente, ser uma forma de arte, ou subversão, ou manifestação... ou tudo isso junto, está ajudando a sujar a cidade, portanto contraditório (os que estão no meio dos grafites beleza, porque grafiti é uma expressão artística, mas em forma de pixação em muros e postes sou totalmente contra)...

--> Depois de ter escrito esse post, resolvi pesquisar sobre esse "movimento" e descobri que isso é feito por um artista plástico, webdesignER (que nem eu!) e que o cara faz coisas muito bacanas: veja. Até passei a entender e a aceitar melhor a intencionalidade dessa manifestação e respeito seu ponto de vista, vi opinião de várias pessoas, mas ainda tenho minhas ressalvas e críticas.


Essas e outras frases de impacto me fazem lembrar de uma garota na faculdade que adorava falar sobre Marx. "O Capital" era o único livro que ela citava. Mesmo na aula de Português, sobre blogs (!)... Ela, já com seus 18, 20 anos, ainda naquela fase que eu passei aos 16, em plena época de guerra no Iraque, fazendo discursos nacionalistas, anti-capitalistas e pró-Iraque de boicote aos EUA. Mas aí a contradição: o maço de Marlboro sempre na mão; o celular Motorola na outra; a chave do seu Peugeot novinho no bolso; a chave da cobertura no Morumbi na bolsa, trabalho digitado em um PC com Pentium, Windows, impresso em uma HP. Lembro de alguém dizendo: "vamos fazer que nem o Osama: deixar a barba crescer, viver na caverna e caçar a comida". Agora pergunta: por que ela não vendeu o carro que ela ganhou, pegou o dinheiro e foi distribuir cestas básicas na favela Paraisópolis? Aí vem me citar Marx, aleatoriamente, com o único propósito de parecer ser uma pessoa intelectual? Me poupe...

Dias depois de começar a pensar nesse post, estou eu no metrô (o bom do transporte público é que você vê muitas coisas, caso seja uma pessoa realmente atenta) e vejo um anúncio: "Ajude a salvar o mundo: seja vegetariano". Cára! Como é que alguém pode gastar dinheiro para fazer um anúncio desses no metrô??? Pegasse esse dinheiro e fosse num rodízio encher a pança de carne e cerveja... Alguém já contou para essa pessoa que faz parte da natureza animal que pessoas comam carne? Será que essa pessoa nunca assistiu no Discovery Channel um leão caçando e matando violentamente um animal qualquer para se alimentar? Será que ele pensa que o tigre tem toda aquela força só comendo alface? Até entendo a revolta contra produtores de carne, que criam gado com único propósito de ganhar dinheiro, que matam animais inocentes, produzem mais do que é preciso e jogam fora toneladas de carne todos os dias e todo aquele blábláblá... mas daí fazer campanha no metrô pro povo virar vegetariano já é demais! Gente! O povo não vai entender que esses são os motivos! E se entendessem, aí que não abririam mesmo mão dos churrascos com os amigos na laje, ao som de funk, pagode, Calypso e muita cerveja Bavaria. Porque mesmo que entendam, não têm consciência do impacto provocado por tudo isso. E outra: vegetais também são seres vivos. Vamos deixar de comer vegetais também?

PELOAMORDEDEUS! Chega dessa hipocrisia barata que não leva a lugar algum!

Alou! Oi! Acorda! Vivemos num mundo capitalista (infelizmente, mas é isso aí) e isso não vai mudar. A não ser que um dia todo o dinheiro do mundo deixe de existir e todas as pessoas deixem de lado suas ambições para viverem num mundo de respeito mútuo, igualitário e harmonioso. Lindo!!! Eu adoraria também!!! Mas utópico. A não ser que todos os Bushs do mundo morram, todos os ricos abram mão de suas fortunas e todas as corporações passem a fazer escambo... que não hajam mais relações de poder... Sorry, mas anarquia é utópica em qualquer classe animal.

Acho legal que as pessoas se preocupem com os problemas do mundo e tentem, de alguma forma, fazer a diferença. Confesso até que eu deveria me preocupar mais, apesar de ajudar sempre que posso. Acho que se todo mundo fizer um pouquinho, já vai fazer uma bela diferença. Porém, palavras sem ação são vazias, NÃO produzem efeito. É preciso que as idéias, a vontade e a energia sejam direcionadas para ações reais, que realmente produzam algo útil, mesmo que pequeno. Claro que você não precisa ir no meio do oceano para salvar as baleias, ou entrar na frente de um tanque de guerra (apesar de ter sido sensacional). Comece com coisas simples, separando seu lixo, por exemplo; doando sangue... pagando uma refeição a quem te pede dinheiro, ao invés de dar o dinheiro; doando roupas e objetos para pessoas carentes... etc etc etc.

Mas, por favor, não me venha falar de Marx e depois achar ruim com os flanelinhas no farol, ok?

Como diz seu Lili: "Prefiro ter um filho viado do que um filho pseudo ativista". "Fico puto(a)" mesmooooo!

prontoDESPEJEI! Ufa!

21.11.08

Não fale comigo!

Reações: 
Se vc não tem assunto, NÃO FALE COMIGO!
- Não me interessa discutir sobre o tempo no fds
- Não me interessa o prato favorito da sua vizinha
- Não me interesa o instrumento que vc toca, nem qdo sua banda vai fazer show, nem saber o pq vc vai cortar o cabelo no fds...

Se vc não tem um assunto importante a tratar, NÃO FALE COMIGO, PORRA!

- Gradicida.

20.11.08

Falsos cognatos

Reações: 
Por que, meu Deus, as pessoas gostam tanto de certos falsos cognatos? Quem nunca ouviu alguém dizer que a medição foi acurada (tipo, como se existisse essa palavra em português, e como se accurate não significasse, na verdade, preciso, exato)? Ou então que fulano não atendeu à reunião (attend = comparecer a)?

Agora... o mais medonho desses falsos cognatos eu ouvi na sexta passada. Me falaram que alguém realizou que algo estava errado num documento. Peraí, fala de novo que acho q eu não entendi bem... realizou??? Realizou o que, filadaputa? Aí já é demais, né? Pior ainda que veio de uma pessoa que fala inglês quase todos os dias -- um inglês tosco e com um sotaque medonho, mas fala. Será que um dia ele vai perceber os erros ridículos que ele comete?

falando em design...

Reações: 
falando em design, eu odeio qdo usam a palavra designer com intenção de se referir à design (ou vice-versa), tipo:

"este produto tem designer arrojado"
ou ainda:
"tenho uma vaga aqui pra trabalhar como web design"

caras... é tão simples...
  • A designer is a person who designs something. Perhaps the broadest definition is that provided by Herbert Simon: ‘Everyone designs who devises courses of action aimed at changing existing situations into preferred ones.’
  • Design is used both as a noun and a verb. The term is often tied to the various applied arts and engineering (See design disciplines below). As a verb, "to design" refers to the process of originating and developing a plan for a product, structure, system, or component with intention[1]. As a noun, "a design" is used for either the final (solution) plan (e.g. proposal, drawing, model, description) or the result of implementing that plan in the form of the final product of a design process[2]


PS: fui eu quem apertou o botão do 4o andar -----prontofalei!

Praça de alimentação de shopping

Reações: 
Uma coisa que me irrita MUITO é praça de alimentação de shopping. Principalmente em feriados e fins de semana, que são os dias em que todo mundo pensa que o shopping vai estar vazio e tem a feliz idéia de ir se apertar por lá -- e não desiste dessa idéia, mesmo depois de ter ficado 2 horas procurando uma vaga no estacionamento. E, como se não bastasse, essa galera ainda insiste em ir COMER no shopping!

(Que fique claro o seguinte: eu raramente como no shopping quando percebo que a praça de alimentação está lotada justamente pra não me estressar -- e pra não ser mais um a bancar a sardinha enlatada. Mas infelizmente às vezes só podemos recorrer a esses estabelecimentos; por exemplo, num feriado em que eu tenha que trabalhar.)

Quanto mais pessoas juntas em um mesmo espaço físico maiores as chances de alguém fazer alguma idiotice. Aí é um tal de ter gente marcando lugar na mesa da praça de alimentação com guarda-chuva, crachá, chave de casa... outros ficam lá na mesa, conversando, tipo "eu estou no boteco da praia comendo camarão". Eu até tenho vontade de chegar pra essas pessoas e perguntar se elas sabem o que quer dizer FAST FOOD mas aí eu desisto da idéia. Eu já fui professor de inglês, e uma vez uma aluna minha (meio lerdinha da cabeça, coitada) ficou surpresa quando eu expliquei que "fast food" significava "refeição rápida". Ela me falou que achava que "fast food" queria dizer "lanchonete" ou algo assim. E eu tenho certeza de que tem mais gente no mundo que pensa como ela, então eu procuro entender o porquê de um imbecil que acaba de comer no shopping fica lá trocando idéia com a galera, admirando a paisagem (???), ou então esticadão na cadeira coçando a barriga, como se estivesse em casa. Ou ele faz isso porque é burro e não sabe que lá não é lugar pra ficar embaçando, ou ele não tem a mínima consideração com as pessoas que estão ao seu redor (o que é muito provável, porque nosso povo é assim mesmo) ou ainda ele gosta de irritar ou outros.

Eu acho que é mais a falta de consideração mesmo. No nosso país tem muita gente que não sabe viver em sociedade. Eu torço pra que o Brasil arrume uma confusão com os EUA um dia e os EUA sobrevoem nosso território e deixem cair uma bomba atômica sem querer. Eu acho que só desse jeito a gente conseguiria mudar esse país. Tá mais do que na hora de a gente dar um reset aqui!

19.11.08

.transporte "público"... vergonha geral da nação?

Reações: 
..minha vergonha alheia é totalmente conhecida por todos que convivem comigo, principalmente no que diz respeito à design. [temos tantos "disáiners" hoje em dia, não é mesmo, minha gente?]
já há algum tempo reparo nos ônibus novos de são paulo, e me pergunto NERVOSAMENTE:

QUEM, em sã consciência, APROVOU o design deles? com certeza alguém que NÃO OS USA!



minhas "questãs" para o senhor disáiner/APROVADOR do "lêiáuti":
- alguém já QUASE caiu [ou caiu mesmo] daquele "trampolim" entre a catraca e o tal "piso baixo"?
- já repararam que no TETO está escrito "cuidado: degrau"? [se você enxergou isso, muito provavelmente foi quando caiu bem no meio do ônibus, feito uma casca de banana esparramada, pois só assim pra enxergar tal coisa!!!]
- e os idosos, gente, alguém pensou neles? quantos anos tem esse sujeitinho "APROVADOR" do layout? 12? ele pelo menos tem uma avó? provavelmente ela não anda de ônibus. porque né? se a gente tão jovem [aham] já quase não se equilibra naquela gangorra, que dirá alguém nos seus 60/80 anos!!!!

nessas horas eu tenho vontade de encarnar a dercy e falar:

BANDIFIDUMAPUUUUUUUUUUUUUUUU!!!! vão tudo tomar no c**************!!!!!!!


eu sei, é duro ser pobre. e revoltada.
.

Falando em Metrô.... maldita inclusão digital!

Reações: 
Puts, falando em metrô lembrei de algo que me deixa puta da vida, meu! Gente, normalmente mano ou piriguete, que colocam a música na maior altura, só prá mostrar que têm celular PHODA.

Geeeeenteeeeee! Se Deus inventou o fone de ouvido, é porque aquilo serve prá alguma coisa! E, de fato, serve: para não incomodar os outros! Mas parece que as pessoas sentem prazer em incomodar os outros. Acham que o Ipod ou o celular são boombox... :-P

Cára, não quero ouvir funk! Não quero ouvir pagode! Não quero ouvir forró! Não quero ouvir Kenny G!!! (Ok, o cara que tava ouvindo Kenny G não era mano, mas devia ser viado. Quem é que ouve Kenny G alto no metrô????)

Eu tenho vontade de pegar o rock mais barulhento e insuportável do mundo, ou então música erudita, e colocar bem alto também... será que eles vão gostar? O problema é que meu celular não funciona sem fone e meu MP3 é uma bosta, o volume não fica altão :-P. --> popup: eu, que trabalho, tenho um celular simples, que peguei de graça na minha operadora. Os manos, que não sei o que fazem da vida, têm celular phoda! Intrigante, não? Outra: se o cara tem um celular caro, não tem dinheiro pra pagar 20 reais num fone!?!?!??!!??!

Malditos fabricantes de celular, que criaram os aparelhos funcionando sem fone.
Maldita inclusão digital... celulares e MP3 mais acessíveis dá nisso! Se o negócio ainda fosse caro, não teríamos esse "poblema"...

prontofalei!

Porra de metrô nosso (de cada dia)

Reações: 
Daí que eu já ODEIO andar de transporte público. Me chame do que quiser: fresca, metida... mas prefiro ter um filho VIADO que um filho motorista de ônibus e metrô.

Saindo do trampo, já vesga de tanto olhar pro monitor, e esperando chegar logo em casa.. ouço:
- ESTAÇÃO REPÚBLICA



PHODEU.

Entrou TANTA gente naquele vagão, mas TANTA gente.. que pqp.. fui prensada entre o povão e uma das barras que vai do chão ao teto.

Pensando que meu sofrimento estava para acabar... na próxima estação - Anhangabaú - me entra mais um fdp e me prende ainda mais! Esse povo não tem noção??? Eles não enxergam que a p**** do vagão tá lotado???

Enfim.. meu sofrimento só foi acabar na Sé.. quando o mundo desembarcou e eu pude pegar a linha azul, mais civilizada.

Começo do fim do mundo

Reações: 
Foi difícil achar um nome pra esse blog, pois já existem milhões de blogs no mundo chamados prontofalei. Pô, que bando de gente sem criatividade! Detesto gente que faz tudo igual... prontofalei...

Aliás, por causa dessa falta de criatividade colossal que assombra o mundo virtual, e por causa da nossa enorme criatividade, esse blog se chama "palanque prontofalei". Assim, as mais variadas indignações (e olha que nesse grupo são muitaaaaassss) podem ser exprimidas, ao som de mega-fone, pra todo mundo ouvir (ou ler).

Esse é o espaço para revoltados autênticos que não têm medo de dizer ao mundo o que pensam. E, depois de tudo, ainda dizem na maior calma, como se nada tivesse acontecido, ou como se estivessem renovados, leves, aliviados após despejar nos outros o que realmente pensam: prontofalei!

PS.: campanhas políticas não são bem-vindas.... porque eu acho discurso político UMA MERDAAAAA! prontofalei!